Welcome to F.I.E.L.D.- the First Ismaili Electronic Library and Database. Guests are not required to login during this beta-testing phase

Universidades vão tirar "amplo partido" de acordo com Aga Khan - 2015-06-03

Date: 
Wednesday, 2015, June 3
Location: 
Source: 
tvi24.iol.pt/politica/aga-khan/sede-da-comunidade-de-muculmanos-ismaili-passa-a-ser-em-portugal
2015-06-03-portugal-ak-headquarters-aiglemont-cohelo.jpg

English Google Translation below text
Política
Universidades vão tirar "amplo partido" de acordo com Aga Khan
É uma das maiores agências privadas para o desenvolvimento em todo o mundo. Sede formal do Ismamat Ismaili passará a funcionar em Portugal e inclui um investimento na investigação académica

A sede formal do Ismamat Ismaili passará a funcionar em Portugal. O acordo entre o Governo e o príncipe Aga Khan, líder desta comunidade de muçulmanos Shia foi assinado esta quarta-feira em Lisboa e inclui, também, um investimento na investigação académica, o que fez o primeiro-ministro salientar o "amplo partido" que as universidades poderão retirar deste acordo.
.
A Rede Aga Khan de Desenvolvimento é uma das maiores agências privadas para o desenvolvimento em todo o mundo. Atua em 30 países e dá emprego a mais de 80 mil pessoas.

Em Portugal, onde já atuava com vários projetos de índole social, haverá também um investimento na investigação no Ensino Superior.

Ambas as partes realçaram a importância histórica deste acordo. O primeiro-ministro destacou as "oportunidades" que as universidades podem ter a partir de agora.

"Estou certo que as nossas universidades, os nossos centros de investigação e os nossos investigadores, que estão cada vez mais abertos ao mundo e integrados na rede universal do conhecimento, saberão rapidamente, em conjunto com a rede Aga Khan para o Desenvolvimento e as suas instituições, tirar amplo partido das oportunidades criadas com este acordo", afirmou Passos Coelho, durante a cerimónia de celebração do dito acordo.

O ministro Negócios Estrangeiros, Rui Machete, também teveum discurso em sintonia com o do primeiro-ministro. “O acordo hoje assinado representa um novo impulso para a investigação de alto nível que realizamos nas nossas Universidades e instituições de investigação, e dessa forma contribui para o progresso do nosso País".

Após sublinhar o “modelo de participação cívica e de consciência social” que esta comunidade oriunda de um ramo do islão xiita desenvolve em Portugal, onde está presente desde 1983, Rui Machete destacou a importância da “Rede Aga Khan para o Desenvolvimento” no panorama internacional e “conhecida” pelos portugueses.

“A forte presença em determinados países da CPLP, como é o caso de Moçambique, estreita ainda mais os nossos laços e demonstra um potencial de conjugação de esforços que importa desenvolver”, afirmou.

A decisão do Governo português em acolher a sede global do 'Imamat Ismaili' (comunidade ismaelita) foi definida como “um importante sinal de abertura do Estado” dirigido à importante comunidade dos muçulmanos ismaelitas e num contexto em que “o diálogo intercultural e interconfessional assumem um papel de capital importância nas principais questões da agenda internacional”.

Neste contexto, o chefe da diplomacia considerou que as “ameaças às democracias e aos direitos das populações por parte de movimentos retrógrados, xenófobos e intolerantes” não podem ser menosprezadas, com o sucesso neste combate dependente da “estreita coordenação e de um trabalho conjunto”.

“Uma sociedade rica é, sobretudo, uma sociedade livre, na qual a democracia e os direitos fundamentais são basilares, e que promove uma sã convivência entre diferentes crenças, não desconsiderando nem oprimindo as minorias ou segmentos da população por força de uma visão arcaica da sociedade”, salientou ainda.

O Aga Khan, título que atualmente detido pelo príncipe paquistanês nascido na suíça Karim al Husseini, que discursou em inglês ao lado de Rui Machete e de Passos Coelho, sublinhou um acordo “pouco comum” com um parceiro que partilha valores similares e que poderá permitir “qualidade de vida” para quem vive em Portugal e garanti-la em “outras partes do mundo” onde possa ocorrer uma cooperação conjunta.

“Hoje é uma ocasião única e importante, onde pela primeira vez na nossa história teremos a oportunidade de trabalhar com um parceiro com quem partilhamos tantos valores, tantas esperanças e tantos desejos”, frisou.

“Assim, espero pela aprovação [do acordo] pelo parlamento, porque são uma democracia, e quando estiver concluída espero que possamos trabalhar em conjunto para alcançar resultados que não obtivemos quando trabalhávamos sozinhos”, enfatizou, em referência a um acordo que considerou “permanente”, disse o líder da comunidade ismaelita.

English Google Translation

Universities will take "broad party" according to Aga Khan

The formal seat of the Ismaili Ismamat will work in Portugal. The agreement between the Government and the Prince Aga Khan, leader of this community of Shia Muslims was signed Wednesday in Lisbon and also includes an investment in academic research, which made the prime minister noted the "broad party" which universities may withdraw from this agreement.
.
The Aga Khan Development Network is one of the largest private development agencies around the world. It operates in 30 countries and employs over 80,000 people.

In Portugal, where she worked with various projects of social, there will also be investment in research in higher education.

Both parties stressed the historic importance of this agreement. The prime minister highlighted the "opportunities" that universities may have from now.

"I am sure that our universities, our research centers and our researchers, who are increasingly open to the world and integrated in the universal network of knowledge, know quickly, together with the Aga Khan Development Network and its institutions, take ample advantage of the opportunities created by this agreement, "said Passos Coelho, during the celebration ceremony of the said agreement.

The Foreign Minister, Rui Machete, also teveum speech in tune with the prime minister. "The agreement signed today is a new push for high-level research we conducted in our universities and research institutions, and thus contributes to the progress of our country."

After emphasizing the "model of civic participation and social awareness" that this community coming from a branch of Shiite Islam developed in Portugal, where it is present since 1983, Rui Machete highlighted the importance of "Aga Khan Development Network" on the international scene and "known" by the Portuguese.

"A strong presence in certain countries of CPLP, as is the case of Mozambique, narrow further our ties and demonstrates a combination of potential efforts should be developed," he said.

The decision of the Portuguese Government to host the global headquarters of 'Ismaili Imamat' (Ismaili community) was defined as "an important state open signal" sent to the important community of Ismaili Muslims and a context in which "intercultural and interfaith dialogue take one important capital role in major issues of the international agenda. "

In this context, the chief diplomat considered that the "threats to democracy and the rights of populations by retrograde movements, xenophobic and intolerant" can not be ignored, with the success in this struggle depends on "close coordination and joint work" .

"A rich society is, above all, a free society where democracy and fundamental rights are fundamental, and promotes a healthy coexistence between different faiths, not ignoring or oppressing minorities or segments of the population by virtue of an archaic vision society, "said yet.

The Aga Khan, a title currently held by Pakistani prince born in the Swiss Karim al Husseini, who spoke in English alongside Rui Machete and Passos Coelho stressed one "unusual" according to a partner that shares similar values ​​and that may allow "quality of life" for those who live in Portugal and guarantee it in "elsewhere" where can occur a joint cooperation.

"Today is a unique and important occasion, where for the first time in our history we will have the opportunity to work with a partner with whom we share so many values, so many hopes and so many desires," he said.

"So I hope to approve [the agreement] by parliament, because they are a democracy, and when it is completed I hope we can work together to achieve results that did not get when we worked alone," he emphasized, referring to an agreement that considered "permanent "said the leader of the Ismaili community.


Back to top